Vereadores se encontram com Secretário de Saúde para falar sobre pagamento de anestesistas

por Geovana de Bortole publicado 20/08/2018 14h54, última modificação 20/08/2018 14h54
Vereadores se encontram com Secretário de Saúde para falar sobre pagamento de anestesistas

Vereadores se encontram com Secretário de Saúde para falar sobre pagamento de anestesistas

Na tarde da última sexta feira (17.ago), os vereadores Pastor Elias Ferreira (PSDB), João Feitosa (PTB), Lélio Alvarenga (PSC) e Deusmar Japão (PSL), se encontraram com o Secretário Municipal de Saúde Lucas Leite para tratar de um assunto que estava deixando a população apreensiva.

O vereador Pastor Elias contou que foi procurado por anestesistas que realizam atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na cidade para reclamar de atraso em seus salários. “Esta semana recebi mais de 40 ligações e mensagens me alertando sobre a situação. Os anestesistas me falaram que estão sem receber há nove meses e ameaçaram parar de atender. Muitos pacientes estão aguardando cirurgia. Precisamos de uma resposta urgente da prefeitura, e por isso procuramos o secretário ”, disse.

O secretário Lucas Leite contou que o problema foi gerado pelo contrato dos profissionais, que é realizado através de cooperativa. “Os anestesistas são terceirizados, e estão há seis meses sem receber, pois o prazo havia encerrado. Não são nove meses, como eles estão falando. Resolvemos a questão contratual e será publicado em diário oficial”, declarou.

O secretário contou também que as cirurgias de urgência e emergência estavam sendo realizadas normalmente na cidade. “Este ano ultrapassamos a meta de cirurgias em 150%. Apenas as cirurgias eletivas foram adiadas. Houve um aumento de demanda muito grande”, relatou.

Ainda de acordo com informações do Secretário, o contrato está pronto e a Prefeitura Municipal irá negociar a dívida. “O valor que os anestesistas cobram pela cooperativa cobram é muito maior que a tabela SUS paga. O contrato teve que passar por vistoria. O dinheiro não estava sendo repasso por conta deste impasse. Mas com esse contrato novo que está em vigor, tudo será normalizado”, afirmou.

 Lucas Leite disse ainda que o novo contrato vale por seis meses, mas a Secretaria está providenciando um novo onde além de Cooperativas, os anestesistas podem se credenciar através de CPF ou CNPJ.