Vereadores conhecem área destinada a construção de Parque Tecnológico

por Câmara Municipal de Anápolis publicado 01/03/2012 00h00, última modificação 15/06/2016 11h08
Terreno com 117 alqueires está localizado próximo a Igrejinha Durante toda a tarde desta quarta-feira (29/02) o presidente da Câmara Municipal, Amilton Batista (PTB), e os vereadores, Domingos Paula (PTB), Assef Naben e Wesley Silva, ambos do PMDB, Sírio Miguel (PSB), e Luiz Lacerda (PT), se reuniram com alguns dos empresários responsáveis pelo projeto e instalação do Parque Tecnológico de Goiás que deverá ser edificado na cidade.
Vereadores conhecem área destinada a construção de Parque Tecnológico

Vereadores conhecem área destinada a construção de Parque Tecnológico

O encontro aconteceu em dois momentos. No primeiro, os parlamentares fizeram uma revisão do projeto de edificação do Parque que foi apresentado anteriormente em uma conversa que aconteceu no dia 15 de fevereiro na Prefeitura de Anápolis. Em seguida, conforme sugeriu o vereador Assef Naben, os edis tiveram a oportunidade de conhecer a área destinada para construção do benefício. 
 
O Parque Tecnológico será implantado em uma área de 117 alqueires, próximo a Igrejinha e terá investimentos de cerca de R$ 1 bilhão para concretização de sua infraestrutura. As principais metas da proposta são: atrair, criar, incentivar e manter empresas de bases tecnológicas e instituições de pesquisa e desenvolvimento, como meio para a concretização de projetos de pesquisa e inovação tecnológica. 
 
Ao reconhecer a importância da implantação do Parque para a cidade, Amilton Batista explicou qual a participação da Câmara Municipal para que a iniciativa seja, de fato, idealizada. Segundo ele, uma das atribuições do Legislativo é aprovar o projeto de lei, que deverá ser apresentado pelo Executivo, solicitando autorização para que a área destinada ao Parque seja anexada ao perímetro urbano de Anápolis.
 
“O espaço destinado às futuras instalações está na zona rural, então precisa fazer essa alteração. Antes disso, temos que abrir discussões através de audiências públicas com a participação da sociedade, do Comcidade, entre outros órgãos para estudar e validar o plano diretor no local”, disse Amilton Batista. O presidente também está preocupado com o aumento da especulação imobiliária que deverá acontecer na região.
 
“Logo após as primeiras notícias sobre a implantação do Parque em Anápolis, notamos a existência da corrida de grandes grupos imobiliários, vindos de outros Estados, como de São Paulo, por exemplo, procurando áreas para serem adquiridas. O interesse desses grupos é montar negócios nas proximidades do Parque como churrascarias e até shopping center”, informou o petebista. Para Amilton Batista é preciso zelar para que a área disponibilizada para o empreendimento seja utilizada de maneira correta. 
 
Domingos Paula afirmou que a visita dos vereadores foi proveitosa. Segundo ele, o projeto de edificação do Parque foi desenhado de maneira benéfica para a cidade em vários aspectos, entre eles na geração de empregos, tributos e desenvolvimento econômico. Cauteloso, o parlamentar garantiu que o projeto será avaliado cuidadosamente pela Câmara Municipal. “Um de nossos cuidados é zelar para que nenhuma das matérias que dependam de análise do Legislativo seja enviada para Casa em caráter de urgência. Temos que dar satisfações à população para que a comunidade entenda as transformações vividas pela cidade”, comentou. 
 
Já o vereador Sírio Miguel falou sobre a proposta de geração de empregos para o município. “São dez mil novos postos de trabalho. O Parque também vai colaborar para formação de mão de obra qualificada com sua disponibilidade para abrigar universidades e centros de pesquisas. Sabemos que muitos cargos de peso em indústrias que hoje já estão na cidade, são ocupados por profissionais de fora. A chegada do Parque vai dar oportunidade para reverter esta situação”, acredita.
 
Wesley Silva destacou que o primeiro Parque Tecnológico  a ser construído nas regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil será em Anápolis, o que consolida o potencial de crescimento econômico do município aliada a sua vocação industrial. Na mesma linha de raciocínio do peemedebista, Luiz Lacerda comentou que “Anápolis não foi escolhida aleatoriamente por esses investidores. A vocação industrial e logística da cidade é indiscutível e esse Parque vai ser mais um propulsor positivo que vai somar para o crescimento e desenvolvimento tecnológico da cidade”, concluiu.
 
Fotos:

 
registrado em: