Professora Geli ressalta Dia Nacional da Consciência Negra

por marcos — publicado 20/11/2017 15h48, última modificação 20/11/2017 15h48

A vereadora Professora Geli Sanches (PT) destacou na tribuna, nesta segunda-feira (20.nov), o Dia Nacional da Consciência Negra, data importante para discutir o combate ao racismo e a ampliação das oportunidades de educação e trabalho para parcela marginalizada da sociedade.

Geli frisou que apesar da negativa de grande parte das pessoas, inclusive aferida por pesquisa, são comuns os flagrantes de ações preconceituosas acontecendo na sociedade brasileira. No entanto, ela ressaltou, o que a maioria não entende é que a população brasileira é miscigenada, ou seja, formada por diferentes povos, entre eles o africano e o indígena.

A vereadora falou sobre a falta de oportunidades enfrentada ainda hoje pelos negros no Brasil. Ela citou reportagem do Correio Braziliense, que informa que a cada dez empregados no País, seis são negros. “Outro dado: os negros recebem 56,2% a menos que os brancos mesmo ocupando o mesmo cargo”. Professora Geli revelou ainda que somente 33% dos empregadores têm a pele negra.

A vereadora também falou da baixa presença de negros nos parlamentos brasileiros. Sobre o combate ao racismo, ela disse que o mais importante é que se respeite a raça humana.

O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro em todo o país. A data homenageia Zumbi, um escravo que foi líder do Quilombo dos Palmares. Zumbi morreu em 20 de novembro de 1695.

O objetivo do Dia da Consciência Negra é fazer uma reflexão sobre a importância do povo e da cultura africana, assim como o impacto que tiveram no desenvolvimento da identidade da cultura brasileira.