Professora Geli promove reunião para encaminhar instalação do Fórum de Defesa da Mulher

por Orisvaldo Pires publicado 07/04/2019 10h35, última modificação 07/04/2019 10h35
Professora Geli promove reunião para encaminhar instalação do Fórum de Defesa da Mulher

Professora Geli promove reunião para encaminhar instalação do Fórum de Defesa da Mulher

A reunião realizada na manhã deste sábado (6.abr), no plenário da Câmara Municipal de Anápolis, para tratar da criação do Fórum Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, representa processo de reorganização do trabalho de entidades e instituições que há algum tempo estão inativas ou sem os espaços adequados. A iniciativa do encontro, que reuniu profissionais de setores importantes da sociedade, foi da vereadora Professora Geli Sanches (PT), presidente da Comissão de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia do Legislativo.

Entre os presentes à reunião estavam professores, psicólogos, cientistas sociais, advogados e líderes de movimentos de defesa da mulher. Um dos convidados especiais, cientista social e professor Juscelino Martins Polonial, lembrou que ao longo das décadas o trabalho de defesa dos direitos da mulher representou uma semente fecunda, plantada sob luta e determinação. Foram analisados fatores sócio-político-culturais que, nos dias de hoje, afligem as mulheres.

A advogada Daniele Nava, especialista em direito previdenciário, disse por exemplo que a reforma previdenciária, como proposta atualmente, “é uma violência contra a mulher, uma atrocidade, crueldade, um suicídio em massa”. A diretora do campus Anápolis do Instituto Federal de Goiás (IFG), Elza Gabriela Godinho Miranda, destacou o trabalho que ao longo dos tempos é realizado junto às mulheres no ambiente da Educação e evidenciou sua participação em um grupo virtual que agrega centenas de mulheres mães, que se ajudam na solução das mais diversas dificuldades que enfrentam.

Professora Geli Sanches disse que o objetivo da criação do Fórum é estabelecer um lugar de excelência para o debate dos temas ligados à violência contra mulher. “Um lugar para encontrar ações e fortalecer mulheres, formando-as, dando a elas voz dentro da sociedade, por meio de todas as ações possíveis”, disse. Segundo ela, serão acomodados representantes de diversos segmentos da sociedade civil organizada, como a OAB, o comércio, a indústria, os coletivos organizados.

A finalidade é buscar, por meio do debate e conscientização, ações que empoderam as mulheres, na busca de alternativas para auxiliar a mulher a ter vida mais digna. “Tratei desse assunto com a ministra da Mulher, Damares Alves, durante visita da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, solicitando ações previstas na Lei Maria da Penha, educativas, para conscientizar pessoas da violência contra mulher e banir essa prática. Inclusive colocamos a Escola do Legislativo à disposição”, disse.

O Fórum Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher está aberto a quem quiser compor. Em breve será protocolado na Câmara projeto de lei para regulamentar a implantação. Mas, enquanto isso não ocorre, o Fórum já pode agir. “A reunião foi significativa, tivemos a presença de pessoas que atuam em defesa da mulher há décadas”, avaliou a vereadora. Ficou definido que, no sábado (13.abr), o Fórum vai apoiar o Sindicato dos Professores do Estado de Goiás, em ato na Praça Americano do Brasil, para colher assinaturas em protesto a pontos da reforma previdenciária. A entidade entende que a proposta, como está, é nociva para as mulheres, especialmente as professoras. Também ficou encaminhada nova reunião para o dia 11 de maio, para a qual serão convidadas diversas instituições da cidade, para a formação da primeira diretoria do Fórum.