Professora Geli diz que PEC é “golpe contra trabalhador”

por Marcos Vieira publicado 15/03/2017 12h01, última modificação 15/03/2017 12h01
Professora Geli diz que PEC é “golpe contra trabalhador”

Professora Geli diz que PEC é “golpe contra trabalhador”

A vereadora Professora Geli (PT) também repercutiu na tribuna, na sessão desta quarta-feira (15.mar), os protestos contra a PEC 287, relacionada à reforma da Previdência Social. Ela falou especialmente sobre a situação da mulher com as mudanças propostas pelo governo federal. 

Segundo Professora Geli, a proposta de a mulher se aposentar com o mesmo tempo de contribuição do homem é um “absurdo”, já que ela tem jornada dupla, o que representa uma sobrecarga maior que os homens.  Geli falou também das pensionistas, que com a reforma será penalizada duas vezes: primeiro com a perda do companheiro, depois com a redução do seu orçamento mensal, já que a PEC propõe mudanças também nesse ponto. “E aquela que também tem aposentadoria terá que optar por ela ou pela pensão”, ressaltou a vereadora. 

Professora Geli falou ainda que contribuiu por 34 anos para a Previdência Social, poderia ter se aposentado de maneira especial com 25 anos de contribuição, mas uma reforma anterior lhe tirou esse direito, já que ela atingiu o tempo antes dos 50 anos de idade. A vereadora lamentou o fato de que a PEC vai fazer com que uma professora esteja na sala de aula com 65 anos de idade. 

Geli disse que é preciso esclarecer o assunto à população. “O trabalhador precisa tomar conhecimento da informação de forma educativa”. “E exigimos que nossos representantes em Brasília votem contra essa reforma, que é um golpe contra o trabalhador”.  

A vereadora Professora Geli confirmou que no próximo dia 20 de março, às 19h, realizará audiência pública no auditório da UEG, para tratar da reforma previdenciária. 

A vereadora Professora Geli (PT) também repercutiu na tribuna, na sessão desta quarta-feira (15.mar), os protestos contra a PEC 287, relacionada à reforma da Previdência Social. Ela falou especialmente sobre a situação da mulher com as mudanças propostas pelo governo federal. 
Segundo Professora Geli, a proposta de a mulher se aposentar com o mesmo tempo de contribuição do homem é um “absurdo”, já que ela tem jornada dupla, o que representa uma sobrecarga maior que os homens.  Geli falou também das pensionistas, que com a reforma será penalizada duas vezes: primeiro com a perda do companheiro, depois com a redução do seu orçamento mensal, já que a PEC propõe mudanças também nesse ponto. “E aquela que também tem aposentadoria terá que optar por ela ou pela pensão”, ressaltou a vereadora. 
Professora Geli falou ainda que contribuiu por 34 anos para a Previdência Social, poderia ter se aposentado de maneira especial com 25 anos de contribuição, mas uma reforma anterior lhe tirou esse direito, já que ela atingiu o tempo antes dos 50 anos de idade. A vereadora lamentou o fato de que a PEC vai fazer com que uma professora esteja na sala de aula com 65 anos de idade. 
Geli disse que é preciso esclarecer o assunto à população. “O trabalhador precisa tomar conhecimento da informação de forma educativa”. “E exigimos que nossos representantes em Brasília votem contra essa reforma, que é um golpe contra o trabalhador”.  
A vereadora Professora Geli confirmou que no próximo dia 20 de março, às 19h, realizará audiência pública no auditório da UEG, para tratar da reforma previdenciária.