Professora Geli chama a atenção para fim do turno vespertino do Ceja Professor Elias Chadud

por Marcos Vieira publicado 09/03/2020 16h35, última modificação 09/03/2020 16h33
Professora Geli chama a atenção para fim do turno vespertino do Ceja Professor Elias Chadud

Vereadora Professora Geli Sanches, do PT (Foto: Ismael Vieira)

A vereadora Professora Geli (PT) chamou a atenção em discurso na tribuna, nesta segunda-feira (9.mar), para o fato do governo estadual ter comunicado que pretende eliminar o turno vespertino no Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) Professor Elias Chadud, no Jardim Bandeirante.

“Fui procurada por alunos preocupados com a questão. Entrei em contato com a direção da unidade, que confirmou a intenção do governo estadual em fechar o único turno vespertino do EJA em Anápolis”, ressaltou a vereadora.

Para Geli, trata-se de algo que causa muita estranheza, pois as aulas começaram em janeiro. “Como fecha uma escola em andamento?”, argumentou. Ela ressaltou que esse tipo de decisão sempre vem de cima para baixo, sem considerar a importância do colégio para donas de casa e adultos que trabalham à noite no Daia e só possuem o período da tarde para estudarem.

“Dizem que são poucos alunos. Se não tem aluno, falta competência do governo, para que as políticas públicas alcancem os alunos, porque sabemos que tem gente fora da sala de aula sim em Anápolis”, completou Professora Geli.

A vereadora comentou ainda que há reclamações também na rede municipal de ensino. “Fiz solicitação para que a secretária Sonja Lacerda [Educação] me indicasse os esforços para colocar todas as crianças nas salas de aula. Recebi resposta que não explica o que será feito para garantir vaga para todos”, ressaltou.

Professora Geli revelou ainda que na Escola Municipal Deputado José de Assis, no Bairro de Lourdes, faltam três professores no turno vespertino. “Tem uma turma de primeiro ano [sem professor]. E as aulas começaram dia 30 de janeiro. Esses alunos não foram para a escola porque não tem professor na sala de aula. Temos turma inteira de alunos matriculados que não estão frequentando as aulas. Isso porque os pais me falaram. Se formos a outras escolas, vamos ver grande lista de alunos aguardando vaga”.