Professora Geli apela para que governo estadual contrate professores de apoio para os colégios de Anápolis

por marcos — publicado 10/02/2020 17h56, última modificação 10/02/2020 17h56
Professora Geli apela para que governo estadual contrate professores de apoio para os colégios de Anápolis

Vereadora Professora Geli, do PT (Foto: Ismael Vieira)

Moção de Apelo da vereadora Professora Geli (PT), aprovada em plenário nesta segunda-feira (10.fev), pede que sejam viabilizados professores de apoio nas escolas da rede estadual em Anápolis.

O documento é direcionado ao governador Ronaldo Caiado (DEM), à secretária estadual de Educação, Fátima Gavioli Soares Pereira, e ao coordenador Regional de Educação em Anápolis, Luciano Almeida Pereira.

A falta desses profissionais inviabiliza o acesso de alunos com necessidades especiais às salas de aula.

Na justificativa da Moção de Apelo, a vereadora cita a Lei Brasileira de Inclusão, em seu artigo 27: “a educação constitui direito da pessoa com deficiência, assegurados sistema educacional inclusivo em todos os níveis e aprendizado ao longo de toda a vida, de forma a alcançar o máximo desenvolvimento possível de seus talentos e habilidades físicas, sensoriais, intelectuais e sociais, segundo suas características, interesses e necessidades de aprendizagem”.

O professor de apoio é o profissional habilitado ou especializado em educação especial que presta atendimento educacional ao aluno que necessite de apoios intensos e contínuos, no contexto de ensino regular, auxiliando o professor regente e a equipe técnico pedagógica da escola.

Professora Geli disse que recebeu em seu gabinete a visita de uma senhora que cursa o 3º ano do ensino médio em Anápolis, que apresenta deficiência nas mãos, portanto precisa do professor de apoio, mas como esse tipo de profissional foi tirado da rede, ela se vê impossibilitada de estudar.

Repúdio
A vereadora também repudiou a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, que associou os funcionários públicos a parasitas. “Nosso respeito aos servidores e repúdio à declaração do ministro, que falou essa aberração”.

Geli lembrou que é funcionária pública aposentada “com muita honra”. “Trabalhei 34 anos e nunca me atrasei, sempre fui responsável no cumprimento das minhas funções”, salientou.

Reposição
A vereadora Professora Geli também pediu que o Executivo envie para a Câmara o projeto de lei para a reposição salarial dos servidores municipais. Ela parabenizou a Mesa Diretora, que enviou a propositura referente ao reajuste dos funcionários do Legislativo.