Pastor Elias diz que Anápolis “não é cidade do terror” em referência aos 30 homicídios registrados em 2019

por Fernanda Morais publicado 13/03/2019 15h16, última modificação 13/03/2019 15h16
Pastor Elias diz que Anápolis “não é cidade do terror” em referência aos 30 homicídios registrados em 2019

Pastor Elias diz que Anápolis “não é cidade do terror” em referência aos 30 homicídios registrados em 2019

Pastor Elias Ferreira (PSDB), disse que foi provocado nas redes sociais e questionado se a Frente Parlamentar de Segurança Pública da Câmara Municipal vai ficar omissa a quantidade de homicídios registrados em Anápolis em 2019. Até agora, segundo o vereador foram 30 mortes violentas.

“Não. A resposta é, não vamos. Inclusive a Frente Parlamentar, a qual presido, terá uma reunião na próxima sexta-feira (15.mar) com os comandantes do 3º CRPM, coronel Paulo Roberto e os comandantes da CPE, 28º BPM, e ainda o responsável pelo GGIM, o delegado Glayson Reis. Vamos tratar sobre ações para conter essas mortes”, contou o vereador.

Pastor Elias ressaltou que a Prefeitura de Anápolis, assim como todos os vereadores, não está omissa a essa situação. “A Força Tática está na rua com as viaturas, tivemos diminuições nas ocorrências de roubos, mas vamos conversar sim sobre os homicídios”, garantiu.

Requerimento

O vereador do PSDB disse que vai encaminhar ofício ao governador Ronaldo Caiado (DEM) pedindo a construção de uma nova Central de Flagrantes na Vila Jaiara e ainda a disponibilidade do plantão da Delegacia da Mulher por 24 horas.

Outra solicitação do tucano é que o Governo do Estado disponibilize mais delegados de Polícia Civil para o município.

“Tem muitos delegados em formação na academia de polícia. Espero que venham para Anápolis também porque temos profissionais aqui responsáveis por três especializadas. Além disso, as delegacias de Anápolis têm uma área de cobertura muito grande, atendem de 70 a 80 bairros em um mesmo distrito”, comentou.

Por fim, Pastor Elias falou sobre a necessidade da Codego intervir na infraestrutura do Daia. “Gente, aquilo lá está abandonado, sem iluminação e com as ruas tomadas por buracos. Pelo amor de Deus, façam alguma coisa por Anápolis”, concluiu.