Pastor Elias denuncia ao Ministério Público situação precária de resíduos no Mercado do Produtor

por Orisvaldo Pires publicado 29/05/2019 12h08, última modificação 29/05/2019 12h08
Pastor Elias denuncia ao Ministério Público situação precária de resíduos no Mercado do Produtor

Pastor Elias denuncia ao Ministério Público situação precária de resíduos no Mercado do Produtor

O vereador Pastor Elias (PSDB) esteve na tarde desta terça-feira (28.mai) no gabinete da titular da 15ª Promotoria de Justiça da Comarca de Anápolis, Sandra Mara Garbelini, quando entregou em mãos documentos com denúncia referente à situação precária em que se encontra o local de descarte de resíduos sólidos, na Central de Abastecimento de Anápolis (Mercado do Produtor), localizado no Setor Sul Jamil Miguel. O parlamentar anexou fotos e imagens de contêineres que recebem diariamente toneladas de resíduos, assim como o chorume que escorre pela Avenida Adib Miguel. 

Segundo o vereador, a promotora Sandra Mara Garbelini demonstrou perplexidade diante do fato registrado e revelou que vai instaurar um processo de investigação. Nos próximos dias o Ministério Público chamaria os segmentos envolvidos para prestar esclarecimentos. Pastor Elias informou que moradores do Residencial Serra Dourada há tempos reclamam que são obrigados a conviver com o mau cheiro, sujeita e insetos, e que há pelo menos um ano fazem reclamações ao poder público, sem sucesso. Foi juntada ao processo carta assinada pelo síndico ao vereador Elias Pereira, discorrendo sobre o assunto. 

Outro documento juntado é um termo de fiscalização da Gerência de Vigilância Sanitária de Anápolis, feita no Mercado do Produtor, datada de 28 de maio de 2019, que estabelece prazo de trinta dias para dar solução à presença de chorume e outros resíduos nos contêineres. Pastor Elias já há tempos alerta para essa situação. Por várias vezes levou a denúncia à tribuna da Câmara e fez várias visitas ao marcado para observar in loco a situação, assim como ouvir os moradores. “Já passou da hora de resolver essa situação. Os moradores não agüentam mais. Todos os limites de tolerância já foram superados”, conclui o vereador.