Padre Geovani Alexandre e os vicentinos Francisco Bispo e Vicente Messias recebem cidadania anapolina

por Fernanda Morais publicado 13/03/2019 10h35, última modificação 13/03/2019 16h00

Na noite desta terça-feira (12.mar) foi realizada sessão solene para entrega de títulos de cidadania anapolina ao padre Giovane Alexandre de Souza, e aos vicentinos Francisco Bispo de Assis e Vicente Messias de Pádua.

A iniciativa foi de Lélio Alvarenga (PSL), e teve respaldo de todos os demais vereadores da Casa. Além de amigos e familiares dos homenageados, estiveram presentes no plenário o vereador Fernando Paiva e o deputado estadual coronel Adailton Florentino Nascimento.

Lélio Alvarenga disse que ao propor a cidadania aos três condecorados com o título pensou em reconhecer e valorizar tudo que eles fizeram e ainda fazem por Anápolis, principalmente aos mais pobres e necessitados.

“Me faltam palavras para falar sobre as qualidades de cada um deles. No caso do padre Geovane, sei que a consideração que tenho por ele é correspondida. Me lembro quando minha esposa, já falecida, estava internada em Goiânia. Recebemos a sua visita com palavras de conforto pelo menos por três vezes. Homem de Deus, voltado para a família e para o social. Gosto de ressaltar que, entre as suas qualidades, está a de companheiro e conselheiro do nosso saudoso Bispo Dom Manoel Pestana”, falou.

O vereador frisou que Francisco Bispo de Assis pautou a sua vida em ajudar ao próximo. “Sempre fez tudo que podia para ajudar os mais necessitados. Um exemplo a ser seguido, nós daqui de Anápolis é que temos que agradecer pelo senhor ter escolhido a nossa cidade para morar, para ajudar”, pontuou.

Em relação a Vicente Messias de Pádua, o parlamentar disse “que também pertence a família dos vicentinos. Estou feliz em conceder ao senhor por direito aquilo que o senhor já é de fato. Um grande violeiro, religioso e amigo. Esse título é merecido, é o nosso reconhecimento por tudo que o senhor fez por Anápolis e seu povo”, destacou.

O deputado estadual, coronel Adailton reforçou que a homenagem aos três novos cidadãos anapolinos foi justa. “Cada um em sua área de atuação social, profissional e familiar é merecedor deste título”. Segundo o parlamentar a Câmara Municipal está de parabéns por reconhecer pessoas que tem um histórico de vida pautado na ética, moral e bons costumes, “são, sem dúvidas, modelos de cidadania a serem seguido.”

Coronel Adailton lembrou que também recebeu o título de cidadania e encerrou seu pronunciamento cumprimentado aos novos “conterrâneos. Sei exatamente a satisfação que cada um dos três está sentindo. Parabéns”, ponderou.

Homenageados

Padre Geovane Alexandre de Sousa Nasceu em Jurema (PE), em 26 de dezembro 1985.  Ordenado sacerdote em 8 de dezembro de 1985, na Catedral do Bom Jesus. Foi pároco em várias paróquias de Anápolis e outras cidades que integram a Diocese local. Atualmente é vigário na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na Vila Jaiara. É um grande incentivador das vocações sacerdotais e religiosas. Foi formador de inúmeros sacerdotes da Diocese. Participou da fundação da Creche Santa Terezinha e fez trabalho voltado a ajudar idosos.

“Agradeço a toda Câmara de vereadores, ao meu amigo Lélio e aos presentes na solenidade. Não conheci melhor cidade que Anápolis. A terra me acolheu. Agradeço a Deus pela vida que ele me permitiu ter, de servi-lo, de apresentar a sua palavra e de viver momentos felizes como esse”, disse o padre Geovane.

Francisco Bispo de Assis nasceu em Taguatinga, no Tocantins em 25 de setembro de 1938. Veio para Anápolis em outubro de 1959. Casado desde 1963 com Carmelita Antônio de Assis, tem três filhos, 7 netos e 2 bisnetos. Em 1966 fundou a conferência vicentina São José Operário, na Vila Santa Isabel. Foi ministro extraordinário da Comunhão Eucarística, participou do segundo encontro do Cursilho e é presidente do Conselho Pastoral da Paróquia São Cristóvão. Foi pedreiro e trabalhou no comércio. Dedicou sua vida a ajudar os pobres.

“Tenho quase 60 anos morando em Anápolis. Obrigada a todos que participaram da minha história até essa noite. Aqui é o melhor lugar que conheci, sou temente a Deus, faço o que posso de coração, vou continuar essa minha missão de vicentino agora não como forasteiro, mas sim um cidadão anapolino reconhecido e por direito”, falou Francisco.

Vicente Messias de Pádua nasceu em Nasceu em Borda Mata, Minas Gerais em 06 de junho de 1936. Veio para Anápolis em 1964. Casado desde 1965 com Maria Santos de Pádua, tem 3 filhos, 10 netos e 6 bisnetos. Em 1970 ingressou na conferência vicentina São José Operário. Foi ministro extraordinário da Comunhão Eucarística. Participou da primeira Missa celebrada em português na cidade. Amante da viola desde os 10 anos. Trabalhou como carpinteiro por 36 anos, depois como comerciante de móveis usados. Como vicentino também trabalha em favor dos pobres.

“Estou honrado com essa solenidade. Principalmente ao lado de duas pessoas tão especiais como o padre Geovani e o meu colega vicentino Francisco. Agradeço a Deus por todas as coisas boas que me aconteceram nessa vida. Aqui cheguei a 50 anos, fiz amigos, trabalhei e hoje estou aqui, sendo reconhecido com uma homenagem tão linda e cheia de representatividade para mim. Muito obrigado”, falou Vicente Messias.