Lisieux explica posicionamento sobre inclusão de Anápolis na região Metropolitana de Goiânia

por Fernanda Morais publicado 12/05/2020 11h41, última modificação 12/05/2020 11h41
Lisieux explica posicionamento sobre inclusão de Anápolis na região Metropolitana de Goiânia

(Foto: Ismael Vieira)

O vereador Lisieux José Borges (PT) voltou a falar sobre o projeto de autoria do deputado estadual Alysson Lima (SD), que propõe a inclusão de Anápolis entre os municípios que constituem a Região Metropolitana de Goiânia (RMG).

O parlamentar disse que observou o fato de que algumas pessoas foram críticas ao posicionamento da Câmara em repudiar a proposta, mas fez questão de dizer que “não seria contra a situação se fosse interessante para a cidade”, pontuou.

De acordo com Lisieux José Borges o deputado não conhece Anápolis ou “não sabe o que diz já que entre Anápolis existem os municípios de Goianápolis e Terezópolis. Como seria essa integração do município a essa região metropolitana com essa situação”, citou.

Lisieux reforçou que em momento algum a proposta foi discutida com a população e com representantes de Anápolis, mas que autor do projeto pode vir até a cidade explicar os ganhos com a aprovação da sua iniciativa. “Estamos em alerta com o que acontece. Nossos deputados são atuantes e poderiam trabalhar ou discutir a ideia se fosse viável. Talvez seja, no futuro, mas não vejo assim agora”, posicionou.

O vereador do PT também falou sobre sua preocupação quanto a atuação da Saneago. Ele lembrou que recentemente a Câmara Municipal autorizou a celebração de um novo contrato com a empresa mesmo antes do vencimento do contrato que está em vigor.

“Achei intempestiva a decisão considerando que o documento que está em vigor só vencerá em três anos. A empresa tinha três anos pela frente para melhorar a sua atuação no município. Agora tem uma nova situação que precisamos acompanhar de perto”, comentou Lisieux.

Segundo ele, recentemente conversou com “uma pessoa da Saneago que não quis se identificar”, e foi dito que a empresa não tem ainda planejamento para criação e construção do reservatório de água que resolveria o problema da falta do benefício a longo prazo”, alertou.

Lisieux disse que só tomou conhecimento dos planos de captar água do Capivari 2 ou do Padre Souza. “Tivemos reunião aqui na casa com representantes da administração da Saneago, o Jales Fontoura veio aqui na Câmara, falou sobre a promessa de não faltar água bruta para captação, mas o planejamento disponívele oferecido pela empresa é pouco para trazer segurança a nossa cidade”, disse.