Lisieux alerta para necessidade de Anápolis ter reservatório para garantir abastecimento de água

por Marcos Vieira publicado 12/06/2018 15h45, última modificação 12/06/2018 15h47

Foto: Ismael Vieira

O vereador Lisieux José Borges (PT) chamou a atenção na tribuna, na sessão desta terça-feira (12.jun), para as deficiências no sistema de abastecimento público de água de Anápolis, que sofre com a falta de um reservatório de grande porte que possa dar mais segurança em períodos de estiagem.

Lisieux trouxe o assunto à tona porque a Casa irá apreciar em breve um projeto de lei que propõe a administração conjunta, entre a Saneago e iniciativa privada, de redes de água a serem construídas na cidade. O vereador lembrou que a propositura é essencial para garantir a vinda de R$ 120 milhões para obras de ampliação do sistema, verba já prometida no ano passado pelo Ministério das Cidades.

Segundo o vereador, o sistema Piancó, o principal de Anápolis, encontra-se falido. O afluente que no passado abastecia quase toda a cidade hoje depende da água do Anicuns e agora, na seca, terá o reforço do Capivari, em uma transposição concluída recentemente para suportar a grande demanda. Os 170 litros por segundo captados com essa nova obra são suficientes somente para garantir a água na torneira.

“A Saneago não está emitindo AVTO [Atestado de Viabilidade Técnica e Operacional] em Anápolis para empreendimentos a partir de 20 unidades. O dono do condomínio tem que cavar o poço artesiano, fazer o sistema de tratamento para garantir a continuidade do seu projeto”, explicou Lisieux.

O vereador também lembrou que a região é de nascentes de alta qualidade, mas sem um grande rio que poderia servir para a reserva de água. Ele reforçou a mensagem de que qualquer proposta para se garantir o abastecimento público no futuro passa por uma lagoa de grande porte.