Lélio Alvarenga reforça luta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes

por Marcos Vieira publicado 21/05/2018 13h59, última modificação 21/05/2018 13h59
Lélio Alvarenga reforça luta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes

Lélio Alvarenga reforça luta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes

 

Foto: Ismael Vieira

O vereador Lélio Alvarenga (PSC) repercutiu na tribuna, nesta segunda-feira (21.mai), o lançamento em Anápolis da Campanha de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, que apresentou números relevantes e preocupantes para a sociedade.

Os dados foram mostrados durante o 2º Seminário de Fortalecimento da Rede de Proteção Social no Enfrentamento à Violência contra Crianças e Adolescentes, realizado na sexta-feira (18.mai), no auditório do Senac. Segundo Lélio, somente em 2017 foram registrados na cidade 200 atendimentos a vítimas de abusos sexuais nos dois Centros de Referência Especializada de Assistência Social (Creas).

“De repente a gente acha que só acontece esse tipo de crime lá fora e é um número assustador, levando em consideração que só 5% dos casos são denunciados de fato”, reforçou o vereador, que conclamou a Câmara Municipal a dar as mãos às autoridades que lutam contra o abuso de menores. Ele citou a atuação exemplar na cidade do juiz da Infância e Juventude, Carlos Limongi, e os conselheiros tutelares.

A principal meta da campanha lançada na semana passada é incentivar a denúncia, além de discutir a ampliação e fortalecimento da rede de apoio e proteção às crianças e adolescentes em situação de risco.

Lélio chamou a atenção para o fato de que os agressores mais frequentes estão dentro de casa. Os dados mostram que são parentes próximos das crianças, o que exige uma divulgação ampla da campanha, para que as responsáveis pelas vítimas sejam encorajados a comunicar o abuso às autoridades.

Saúde
Lélio Alvarenga também fez críticas ao sistema de regulação da saúde, o Sisreg, que segundo ele tem deixado a população desamparada. “Que o líder do prefeito [vereador Jakson Charles, do PSB] olhe com carinho para essa demanda”, frisou o vereador. Ele disse que esteve nos postos de saúde e as pessoas reclamaram que não estão conseguindo marcar consultas, exames ou cirurgias. “É um problema nacional ou local?”, argumentou.