Lélio Alvarenga faz alerta: população deve buscar unidades referenciadas para o coronavírus

por Marcos Vieira publicado 18/03/2020 17h11, última modificação 18/03/2020 17h11
Lélio Alvarenga faz alerta: população deve buscar unidades referenciadas para o coronavírus

Vereador Lélio Alvarenga, do PSC (Foto: Ismael Vieira)

Em discurso na tribuna, na sessão desta quarta-feira (18.mar), o vereador Lélio Alvarenga (PSC) chamou a atenção para o fato de Anápolis passar a ter cinco unidades referenciadas no atendimento aos casos de coronavírus, portanto é nelas que a população deverá buscar socorro.

“São as unidades do Parque Iracema, Vila União, Recanto do Sol, Bairro de Lourdes e São José. Devemos evitar procurar outras, porque dificulta [o protocolo de atendimento]. Se você procura uma unidade não específica, atrapalha o atendimento de outras coisas. Vamos ter tranquilidade, que é a palavra do momento”, discursou Lélio.

Segundo ele, tranquilidade é a “palavra do momento”. “O profissional da saúde tem que ter tranquilidade, paciência. Não adianta entrar em desespero. Se você diante de grande dificuldade colocar a mão na cabeça e se desesperar, não sai do lugar”.

Quanto a isso, Lélio afirmou que é bolsonariano e defende o presidente “até o último dia”, mas que é preciso nesse “momento que algumas atitudes sejam coerentes”. “Presidente não tem noção o que estamos vivendo quando fala em histeria. Temos que abolir essa palavra nesse momento. Temos o problema sim [do coronavírus]”, ressaltou.

O vereador pediu para que cada vereador coloque em suas redes sociais as unidades preparadas para atender os casos de coronavírus. “E foi criado um ZAP específico para o atendimento. Que avisemos por ele a informação de qualquer caso”, disse.

Lélio informou que a Comissão de Saúde, mais a Frente Parlamentar que cuida da área e o Conselho Municipal de Saúde estão estudando formas de ajudar a população, principalmente os idosos, parcela mais vulnerável.

Profissionais
Lélio disse ainda que é preciso olhar a classe mais vulnerável nesse momento de pandemia, que é a da área da saúde. “Eu já perdi na minha caminhada três colegas que foram contaminados, infelizmente. E hoje temos dificuldade de encontrar EPIs [equipamentos de proteção individual] específicos para proteger contra o coronavírus”, explicou.

“Mais uma vez quero abraçar todos os meus colegas da área da saúde. Vamos fazer encaminhamento ao ministro e ao presidente para que possa construir piso nacional para o profissional técnico da área da saúde, que ganha R$ 1090 para colocar em exposição a sua vida e da sua família. Precisamos dar apoio e abraçar essa causa”, finalizou.