João da Luz pede regularização de repasses para entidades da Bolsa Iniciação Esportiva

por marcos — publicado 11/02/2020 15h54, última modificação 11/02/2020 15h54
João da Luz pede regularização de repasses para entidades da Bolsa Iniciação Esportiva

Vereador João da Luz, do Podemos (Foto: Ismael Vieira)

O vereador João da Luz (PODE) fez um apelo na tribuna, na sessão desta terça-feira (11.fev), para que a Secretaria Municipal da Fazenda regularize os repasses financeiros às entidades que atuam na Bolsa Iniciação Esportiva.

Segundo ele, responsáveis pelas entidades o procuraram pedindo ajuda, pois sem os recursos financeiros fica difícil manter o projeto que atende centenas de crianças em Anápolis. Inclusive, explicou o vereador, há a pretensão de propor avanços no atendimento às crianças, mas antes é preciso manter os compromissos em dia.

João da Luz enalteceu o trabalho do secretário municipal de Esportes, Kim Abrão, e lembrou que a Bolsa Iniciação Esportiva foi uma luta encampada também por ele na Câmara Municipal, pois se trata de algo voltado para crianças mais carentes, cumprindo um importante papel de tirá-las do mundo da criminalidade.

A proposta teve início em setembro do ano passado, com o chamamento público para as entidades do Terceiro Setor que dariam as atividades esportivas para as crianças. “Com isso, 17 entidades se inscreveram, mas infelizmente muitas não estavam atentas para atender os critérios do chamamento e somente seis acabaram contempladas”, explicou.

A partir daí, contou João da Luz, os trabalhos foram iniciados e a administração municipal acabou assinando um aditivo. “Só que nesse andar da carruagem surgiu o problema na Secretaria da Fazenda. Há diferença em estar empenhado e estar pago. E as entidades precisam de dinheiro para tocar o projeto”, comentou o vereador.

Construtores
O vereador levantou outro assunto na tribuna, segundo ele uma demanda dos construtores da cidade de Anápolis.

João da Luz disse que o alvará on line representou um grande avanço para a economia anapolina, desburocratizando um processo importante na abertura de um negócio, mas uma mudança recente tem atrapalhado os construtores.

O vereador explicou que para se mudar a titularidade do IPTU, bastava levar a matrícula do imóvel ao Rápido. Agora, é preciso abrir um processo que leva de 10 a 15 dias.

“E para apresentar uma planta para ser aprovada no município, é preciso que o IPTU esteja no nome da pessoa. Ou seja, enquanto avançamos com o alvará on line, criamos através desse protocolo um atraso para os construtores. E nesse ramo, um dia de atraso conta muito no resultado final”, explicou João da Luz.

Ele pediu ajuda ao líder do prefeito, vereador Wederson Lopes (PSC), para que essa burocracia seja destravada. “Que seja feita uma gestão para mudar esse processo ou voltar ao modelo antigo”, solicitou o vereador.

registrado em: ,