João da Luz destaca aprovação na CCJR de projeto que permite instalação de bloqueador de ar na rede de água

por Marcos Vieira publicado 17/06/2019 11h32, última modificação 17/06/2019 11h32
João da Luz destaca aprovação na CCJR de projeto que permite instalação de bloqueador de ar na rede de água

João da Luz destaca aprovação na CCJR de projeto que permite instalação de bloqueador de ar na rede de água (Foto: Ismael Vieira)

O vereador João da Luz (PHS) destacou na tribuna, nesta segunda-feira (17.jun), a aprovação na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) do projeto de lei de sua autoria, que autoriza o consumidor a instalar bloqueador de ar na rede de água após o hidrômetro.

“Destaco aqui a responsabilidade e coerência dos membros da CCJR. Trata-se de uma propositura que vai representar uma vitória para a sociedade anapolina”, ressaltou João da Luz. O texto ainda tem que ser votado em plenário para virar lei na cidade.

O vereador lembrou ainda que faz parte da Comissão de Saúde, Saneamento e Assistência Social, portanto acompanha de perto o setor e tem algumas reivindicações a serem feitas.

Ele citou a necessidade de um aparelho de endoscopia e o conserto da máquina de eletrosia, para cálculos renais. João da Luz disse ainda que os vereadores são para-raios da sociedade, e que atualmente houve uma redução nas reclamações quanto a exames.

“As ressonâncias estão indo bem e outros exames também. Isso é sinal que a Regulação está caminhando positivamente”, frisou. O vereador pediu atenção especial às impressoras dos postos de saúde, frequentemente com defeitos.

João da Luz destacou ainda a extensão dos horários de atendimento nas unidades de saúde, que repercutiu positivamente. Agora, frisou o vereador do PHS, seria interessante olhar também a educação.

Segundo ele, o Cmei funciona das 13h às 17h, mas as trabalhadoras tem a jornada das 14h às 18h. “Ou seja, há um desencontro e as mães não conseguem buscar suas crianças. Registro aqui esse pedido, de flexibilização dos horários nos centros municipais de educação infantil”, reforçou.