Jean Carlos repudia fala do ministro Paulo Guedes, que associou funcionário público a parasita

por marcos — publicado 10/02/2020 15h55, última modificação 10/02/2020 15h55
Jean Carlos repudia fala do ministro Paulo Guedes, que associou funcionário público a parasita

Vereador Jean Carlos, do PTB (Foto: Ismael Vieira)

O vereador Jean Carlos (PTB) repudiou declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, que chamou funcionários públicos de parasitas. Em discurso na tribuna, na sessão desta segunda-feira (10.fev), Jean disse que foi uma fala infeliz, que deveria também ser rechaçada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Aqueles que ele chama de parasitas são os que lhe dão todo o respaldo no ministério, para que ele possa trabalhar. Não se pode aceitar a generalização. Somos a favor da reforma administrativa e da revisão do pacto federativo, mas deve se levar em conta o respeito com os profissionais que atuam na esfera pública”, ressaltou Jean.

Guedes deu a declaração durante palestra na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, no último dia 7. “O governo está quebrado. Gasta 90% da receita toda com salário e é obrigado a dar aumento de salário. O funcionalismo teve aumento de 50% acima da inflação, tem estabilidade de emprego, tem aposentadoria generosa, tem tudo, o hospedeiro está morrendo, o cara virou um parasita, o dinheiro não chega no povo e ele quer aumento automático, não dá mais”, disse o ministro.

Jean frisou que outro exemplo da atuação primorosa do funcionalismo público foi o resgate de brasileiros na China, para quarentena em Anápolis. “Se não fossem servidores dos ministérios da Defesa e da Saúde, não teríamos algo tão bem sucedido e, portanto, favorável para a imagem do governo, como foi essa missão”, explicou.

O vereador conclamou que haja uma mudança de visão do ministro em relação ao funcionário público, pois nem mesmo concurso o atual governo cogita, tamanha rejeição com a categoria. Ele também questionou a proposta – vendida como inovação – de se criar mecanismos para punir servidores que não cumprem com suas obrigações. “Isso já existe em qualquer estatuto da categoria, seja municipal, estadual ou federal”.

Jean Carlos explicou que sua fala não era uma crítica ao governo federal, que tem se esforçado para modificar o cenário nacional, como a reforma da Previdência Social, mas apenas algo pontual sobre a fala do ministro da Economia. “Porque estão demonizando os servidores, dizendo por exemplo que eles são os responsáveis pelo déficit da Previdência Social. Porém, é a única categoria que não sonega o repasse, pois o valor já é descontado diretamente da folha”, comentou.

Obras
Jean Carlos também falou sobre a empresa M. Fortes, que segundo ele não tem conseguido executar duas obras ao mesmo tempo para a Prefeitura de Anápolis, o que tem gerado insatisfação da população.

Segundo o vereador, a implantação de galerias pluviais nas ruas I-3, I-4 e I-5, no Bairro Itamaraty 4ª Etapa, está parada, pois os equipamentos e operários da construtora foram direcionados para outro serviço, na Avenida Isidoro Sabino, no Parque das Primaveras.

“São três meses de paralisação da obra no Itamaraty. Agora, se a empresa não tem estrutura para fazer essas duas obras ao mesmo tempo, como fica agora que venceu uma licitação para um serviço muito maior no Monte Sinai”, questionou Jean Carlos.

O vereador pediu prioridade da gestão para a conclusão dos trabalhos nas ruas I-3, I-4 e I-5, pois o que já foi feito está se perdendo. “E o que poderia ser bom para a imagem da gestão, acaba se tornando um desgaste”. Jean citou também o Feirão do Jardim Alexandrina, cuja obra está 97% concluída, mas que atualmente também está parada. Ele contou que conversou com o secretário da Fazenda, Marcos Abrão, que disse que havia pago a empresa, mas os trabalhos ainda não foram retomados.