Fiscais sanitários pedem apoio a vereadores por isonomia com outras categorias semelhantes

por Orisvaldo Pires publicado 12/02/2020 11h57, última modificação 12/02/2020 11h57
Fiscais sanitários pedem apoio a vereadores por isonomia com outras categorias semelhantes

Fiscais sanitários pedem apoio a vereadores por isonomia com outras categorias semelhantes

A Câmara de Anápolis vai se empenhar junto à Secretaria Municipal da Fazenda no sentido de atender demanda dos Fiscais Sanitários. Na manhã desta quarta-feira (12.fev) um grupo de três profissionais desta área se reuniu, na sala de reuniões da presidência do Legislativo, com o presidente da Casa, Leandro Ribeiro (PTB) e o vereador Lisieux José Borges (PT).

Os fiscais sanitários Gubio Dias Pereira, Adriane Pereira Guimarães e Clóvis Rafael Borges solicitaram aos vereadores sua inclusão em projeto que altera o nível de escolaridade exigida para ocupação de cargos de fiscais de Edificação e de Posturas. Para ocupar essas funções, a partir de agora, a pessoa deve ter graduação em nível superior. O projeto estabelece ainda o nivelamento da remuneração desses servidores (fiscais de Edificação e de Posturas).

Os fiscais sanitários querem sua inclusão no grupo dos beneficiados por esta lei, ora em tramitação nas comissões permanentes da Câmara. Apresentaram aos vereadores uma sugestão de minuta para Projeto de Lei Complementar que assegura ainda adicional de produtividade à categoria. Assim como definição de carga horária de 40 horas semanais.Na sugestão de minuta relacionaram o quantitativo de 55 fiscais sanitários especialistas em Saúde.

Lisieux José Borges disse que há vários anos acompanha os pleitos dos fiscais sanitários, “alguns avanços foram alcançados, outros precisam ser debatidos”. Segundo ele esses profissionais buscam simplesmente a isonomia com outras categorias de fiscais. “Quando foram concursados a carga era de 40 horas. Depois foi reduzida para 30 horas. Agora querem que retorne para 40 horas.

A solicitação dos fiscais sanitários, entende Lisieux Borges, deve gerar impacto financeiro ao erário municipal, “mas é um assunto que tem que ser tratado”. O presidente Leandro Ribeiro se comprometeu a discutir o assunto em reunião agendada para esta quinta-feira (13.fev), com o secretário municipal da Fazenda, Marcos Abrão. “Este pleito da categoria tem o interesse de todos os vereadores para que seja solucionado”, concluiu o presidente.

(Foto: Orisvaldo Pires / Diretoria de Comunicação)