Efetivos se reúnem mais uma vez com presidente e demonstram confiança na aprovação de projeto

por Orisvaldo Pires publicado 08/12/2020 17h15, última modificação 08/12/2020 17h36
Efetivos se reúnem mais uma vez com presidente e demonstram confiança na aprovação de projeto

Efetivos se reúnem mais uma vez com presidente e demonstram confiança na aprovação de projeto

Os servidores efetivos da Câmara, assim como ocorre todas as semanas, foram recebidos pelo presidente do Legislativo, vereador Leandro Ribeiro (PP), na manhã desta terça-feira (8.dez). Em pauta o projeto de lei que regulariza a situação dos servidores concursados, estabelece a qualificação técnica como critério norteador para a definição do salário base, assegura o acesso de efetivos a funções de chefia e provoca equiparação salarial.

Os representantes dos servidores ressaltaram a disposição ao diálogo estabelecida pelo presidente Leandro Ribeiro, a Mesa Diretora e os demais vereadores. “Nós, efetivos, sentimos firmeza no compromisso feito pelo presidente. Ele sempre demonstra abertura para conversarmos. Em todo momento que o procuramos somos sempre atendidos, houve sempre diálogo”, afirma o presidente da Comissão dos Servidores Efetivos, Uarisson de Oliveira de Souza.

Leandro Ribeiro explicou aos servidores sobre a impossibilidade da votação deste projeto ainda em 2020. “Passamos por um período eleitoral. A Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece que no último quadrimestre do ano de eleições o ordenador de despesa não pode aumentar salário. E o novo organograma traz aumento considerável de salários à categoria”, ressaltou.

O referido projeto, informa o presidente do Legislativo, foi aprovado em todas as comissões de mérito da Câmara sem qualquer emenda, da forma como fora elaborado, inclusive com a participação dos próprios servidores efetivos. Segundo Leandro Ribeiro o projeto será votado nas primeiras sessões ordinárias de 2021, no início do mês de fevereiro. Disse também que os servidores não terão prejuízos em seus vencimentos no mês de janeiro. E que, além dos nove vereadores reeleitos para a próxima legislatura, tem certeza que os novos vereadores também comungam da necessidade de regularizar e valorizar os servidores concursados.

Uarisson de Oliveira Souza revelou que os servidores foram tranquilizados em função do empenho de Leandro Ribeiro e dos demais vereadores em resolver a questão, demonstrado na reunião desta terça-feira. O encontro também teve presença dos vereadores Luiz Lacerda/PT (vice-presidente da Câmara) e Jakson Charles/PSB (líder do prefeito), além do procurador geral Maurílio Alvim.

DIÁLOGO
O presidente da Comissão dos Servidores Efetivos reafirmou que o diálogo com a Presidência da Câmara sempre esteve aberto e que os funcionários concursados estão tranquilos diante do compromisso empenhado da gestão do Legislativo. “Sabemos também que há forças externas que sempre distorcem uma fala ou outra, mas nós servidores efetivos sempre fomos bem recebidos e contamos com o apoio do presidente neste pleito”, disse Uarisson Souza.

Leandro Ribeiro lembrou que a atual gestão da Câmara e os demais vereadores tem boa vontade em resolver a demanda dos efetivos. Disse ainda que as providências atendem cautelar do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM/GO), “nos comprometemos a encaminhar solução e assim estamos fazendo”.

O presidente da Câmara salientou que nenhuma administração olhou para os efetivos com o respeito demonstrado pela atual gestão. “Sempre dispensamos atenção aos servidores, em especial aos efetivos. São eles que fazem a engrenagem girar. A Presidência sempre está de portas abertas, atendendo as demandas, buscando soluções. Fizemos compromisso e vamos cumprir. Os efetivos podem ficar tranquilos com a palavra empenhada”, disse.

Em relação ao mês de janeiro de 2021, o presidente da Comissão dos Servidores Efetivos, Uarisson de Oliveira Souza disse que ficou assegurado que os servidores terão seus vencimentos preservados. A partir da aprovação do projeto, em fevereiro, há entendimento que serão cessadas as gratificações. “Não brigamos por gratificação, mas para termos salários regulamentados, inclusive abrindo mão das gratificações para ter uma base salarial justa”, concluiu.

registrado em: