CMTT esclarece dúvidas de vereadores a respeito das obras da Avenida Brasil Norte

por Julio de Paula publicado 21/05/2019 17h15, última modificação 21/05/2019 17h28
CMTT esclarece dúvidas de vereadores a respeito das obras da Avenida Brasil Norte

CMTT esclarece dúvidas de vereadores a respeito das obras da Avenida Brasil Norte

Um grupo de vereadores anapolinos questionou, hoje à tarde (21.mai), à Companhia Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT), o andamento dos projetos para os retornos e de que maneira eles vão funcionar para que a população chegue ao seu destino, após as obras realizadas na Avenida Brasil Norte. A iniciativa foi da Frente Parlamentar de Segurança Pública da Câmara Municipal de Anápolis, que se mostrou defensora e preocupada com os anseios da comunidade, que padeceu por vários meses com as construções de mobilidade.  

O vereador Pastor Elias Ferreira (PSDB), que é presidente da Frente Parlamentar, destacou que, após o convite de moradores e de empresários que se localizam nas entradas e adjacências dos bairros São Carlos, Boa Vista e Alvorada, percebeu o quanto o trânsito foi modificado no período durante e posterior das obras. "As pessoas hoje sabem quem procurar e querem qualidade de vida. Elas não querem ficar sofrendo e nós apoiamos seus ideais. Está difícil de caminhar e andar com nossos veículos", frisou.

Igor Siqueira. engenheiro de tráfego da CMTT, esclareceu com tranquilidade as modificações feitas na avenida. Segundo ele, antes havia sete retornos e, após as obras, ficaram quatro cruzamentos semaforizados. Ele salientou ainda que a Avenida Brasil foi alargada, para que os ônibus trafeguem na faixa central, enquanto que os veículos usem as faixas laterais. dando segurança ao fluxo de quem trafega no local. Na ótica dele, o trânsito vai fluir bem e o pedestre terá segurança na travessia.

Lélio Alvarenga (PSC), que recebeu várias reclamações de moradores e comerciantes da região, ficou satisfeito com as explanações do engenheiro. Na visão dele, a responsabilidade da CMTT é a de organizar o setor, sem que a comunidade saia no prejuízo, tanto nos aspectos estrutural e emocional. "Desde quando começaram as obras, lutamos com o povo. É importante que se coloque semáforos, porque o congestionamento é grande, principalmente após às 17 horas, quando as pessoas começam a voltar para suas casas e o comércio está próximo de fechar", analisou.