Câmara Municipal de Anápolis saúda a bandeira mais bonita e amada do mundo inteiro: Viva a Bandeira Nacional Brasileira!

por Orisvaldo Pires publicado 19/11/2017 13h59, última modificação 19/11/2017 13h59
Câmara Municipal de Anápolis saúda a bandeira mais bonita e amada do mundo inteiro: Viva a Bandeira Nacional Brasileira!

Câmara Municipal de Anápolis saúda a bandeira mais bonita e amada do mundo inteiro: Viva a Bandeira Nacional Brasileira!

Neste 19 de novembro de 2017, a Câmara Municipal de Anápolis tem a honra de saudar o dia da bandeira mais bonita e amada do mundo inteiro. O Poder Legislativo expressa o sentimento do povo anapolino em demonstrar seu orgulho em ser brasileiro, nas formas e cores da Bandeira Nacional.

Surgimento
No final do século 19 havia um grande desconforto em relação ao regime imperial no Brasil. Havia também o Positivismo – uma corrente filosófica que surgiu na Europa como desenvolvimento sociológico do Iluminismo e tinha, entre seus maiores expoentes, o francês Auguste Comte.

O pensamento positivista obteve grande sucesso no Brasil; não por ter sido adotado pela maioria da população ou dos intelectuais, mas pelo fato de algumas figuras proeminentes serem positivistas. Entre elas, Miguel Lemos, Nísia Floresta (a primeira feminista brasileira), Euclides da Cunha, o marechal Rondon, Roquette-Pinto e muitos outros.

Foi nesse contexto que surgiu a chamada "bandeira republicana". Ela foi idealizada pelo professor Raimundo Teixeira Mendes, com a colaboração de Miguel Lemos e do astrônomo do Imperial Observatório do Rio de Janeiro, Manuel Pereira Reis. O desenho foi executado pelo pintor Décio Vilares.

Características
A divisa "Ordem e Progresso" teve como origem o lema positivista de Auguste Comte: "o amor por princípio e a ordem por base; o progresso por fim". Para atrair a simpatia - e garantir aprovação - Teixeira Mendes e Miguel Lemos pretendiam fazer entender que o criador da bandeira havia sido o General Benjamim Constant. Mas ele foi pouco mais que um intermediário entre os autores do projeto e o Governo Provisório. Constant apenas sugeriu destacar a constelação do Cruzeiro do Sul na bandeira, o que foi feito.

Criação
A bandeira foi criada pelo Decreto Nº 4, de 19 de novembro de 1889, que também estabeleceu as diretrizes para as armas e selos nacionais. A partir de então, o 19 de novembro passou a ser conhecido como "dia da bandeira". A primeira bandeira republicana foi bordada por D. Flora Simas de Carvalho.

Cores e formas
Aprendemos na escola que o verde da bandeira tem relação com as matas, o amarelo com as riquezas minerais e o azul com o céu. Mas tal relação nunca existiu na bandeira republicana! O retângulo e o losango mantiveram as mesmas tonalidades da bandeira imperial, mostrando que a nova bandeira não rompeu definitivamente com o Império. O losango, em particular, é a representação da mulher na posição de mãe, esposa, irmã e filha.

A esfera é um antigo símbolo do mundo, unindo o Brasil a Portugal através de D. Manuel, em cujo reinado se deu o descobrimento. Ela é também um antigo emblema romano. O verde da bandeira tem muitos significados, pois remonta o primeiro objeto que provavelmente funcionou como bandeira: ramos de árvores arrancados em instantes de alegria espontânea. Na bandeira do Brasil o verde recorda à Casa de Bragança, a filiação com a França e o estandarte dos Bandeirantes.

O amarelo recorda o período imperial, sendo a representação do Sol. Essa cor recorda à Casa dos Habsburgos e também a Casa de Castela e a Casa de Lorena, a que pertencia D. Leopoldina, esposa de D. Pedro I. Combinado ao verde, o amarelo irmaniza-nos com os povos africanos. O azul também remonta a nacionalidade lusitana, além de homenagear a história do Cristianismo e a mãe de Jesus, padroeira de Portugal e do Brasil. O branco, plenitude das cores, ainda traduz desejos de paz.

O círculo central em azul (definido apenas como "esfera" no decreto que criou a bandeira), é um antigo emblema usado pelos romanos e que também aparece na bandeira do Principado do Brasil instituída por D. João IV, onde já constava, inclusive, a faixa branca no sentido descendente.

Essa faixa confere ao círculo uma perspectiva esférica, ao mesmo tempo que permite a inscrição da legenda "Ordem e Progresso". Com a inclusão das constelações, esse círculo se torna uma esfera celeste, ou seja, uma representação do céu.


                                                                                                                                                                                                                     (Fonte: bandeiranacional.com.br)