Audiência pública aponta caminho para preservar e despoluir mananciais

por Camila Virgínia publicado 11/10/2018 14h25, última modificação 24/10/2018 12h37
Audiência pública aponta caminho para preservar e despoluir mananciais

Audiência pública aponta caminho para preservar e despoluir mananciais em Anápolis

A adoção de medidas práticas no sentido de preservar e despoluir os mananciais de Anápolis, especialmente o Ribeirão Extrema, foi o tema principal de Audiência Pública realizada na noite desta quarta-feira (10.out), no Plenário Teotônio Vilela, da Câmara Municipal de Anápolis. A iniciativa é do vereador Lisieux José Borges (PT) e foi motivada por reclamações feitas por moradores da região afetada pelo problema.

O objetivo da Audiência Pública é apresentar à população o panorama geral do estado crítico que se encontram os mananciais e, ao mesmo tempo, discutir e buscar soluções concretas para a sua revitalização. Isso incluiu a preservação e o combate aos principais problemas, em caráter de urgência, para que processo de despoluição seja iniciado. O Ribeirão Extrema nasce no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), junto à Plataforma Logística Multimodal.

O debate contou com a presença do vereador Pastor Vilmar Silvestre (PSC), o professor de geografia física na Universidade Estadual de Goiás (UEG), Bernardo Cristovão Colombo, o diretor jurídico da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Góias (CODEGO), Leonardo Odair Sanches Borges, além de técnicos, representantes de entidades ambientalistas e de associações envolvidas com a questão, além de autoridades municipais. Os mananciais de Anápolis têm sido diretamente afetados pelo problema da poluição das águas, com a presença de espuma, deixando a água turva com odor insuportável que geram graves consequências para a saúde pública de suas populações.

Lisieux José Borges destacou que a audiência é uma forma de envolver a comunidade para que cobrem soluções de seus representantes. “Estamos diante de um desafio, é preciso uma ação conjunta da sociedade e do poder público para melhorar a gestão dos recursos hídricos e reverter o quadro da poluição. Infelizmente a situação dos nossos mananciais é crítica, é necessário medidas de proteção para não deixarmos que a degradação avance. Nossa preocupação é constante, por isso precisamos cobrar ações de todos”, acrescentou o parlamentar.

O presidente da Associação de Moradores de Anápolis (AMAN), Alex Fernando Rodrigues, informou que a entidade nasceu em função das inúmeras reclamações dos moradores da região atingida pela poluição. “O interesse da AMAN é garantir a despoluição e a qualidade da água para o futuro, já que isso está relacionado a economia, ciência e política. Os moradores já não suportam mais conviver com todos os problemas causados pela poluição”, concluiu o dirigente da entidade.