Aprovado projeto do Pastor Wilmar Silvestre que proíbe cortes de energia e água em dias específicos

por Orisvaldo Pires publicado 17/09/2018 11h55, última modificação 17/09/2018 11h55
Aprovado projeto do Pastor Wilmar Silvestre que proíbe cortes de energia e água em dias específicos

Aprovado projeto do Pastor Wilmar Silvestre que proíbe cortes de energia e água em dias específicos

O projeto-de-lei de autoria do vereador Partor Wilmar Silvestre (PSC), que proíbe o corte de energia elétrica e de água tratada pelas empresas concessionárias em determinados períodos foi aprovado na sessão ordinária desta segunda-feira (17.set). 

A matéria prevê a proibição dos cortes em finais de semana e feriados, e na sexta-feira e vésperas de feriado. Uma emenda apresentada propunha retirar da redação a proibição do corte às sextas-feiras, mas foi rejeitada pelo plenário. 

Na tribuna, Pastor Wilmar Silvestre lembrou que o projeto foi discutido de forma antecipada com vários segmentos, entre eles a Ordem dos Advogados do Brasil e a Federação das Indústrias do Estado de Goiás, “estas instituições nos enviaram pareceres favoráveis à matéria e o apoio à nossa iniciativa”. 

Segundo o vereador, o bispo da Diocese de Anápolis, Dom João Wilk, também manifestou-se a favor do projeto. “Quero agradecer o bispo que, numa visita que fiz, se mostrou sensibilizado em relação a esta matéria, leu o projeto e o abençoou, destacando sua importância”, disse Silvestre. Disse ainda que teve apoio do Conselho de Pastores de Anápolis. 

Wilmar Silvestre fez questão de explicar que o projeto não se coloca contra o corte de fornecimento de energia elétrica e água, desde que assegurado pela lei, em casos de inadimplência. “O que defendemos é que os cortes não sejam feitos nos períodos estabelecidos pela matéria, ou seja, finais de semana, feriados, nas sextas-feiras e vésperas de feriado”, disse. 

Agora o autógrafo-de-lei será encaminhado do Executivo para sansão ou veto. Pastor Wilmar Silvestre informou que, de forma antecipada, já falou com o prefeito Roberto Naves sobre a necessidade de implantação desta lei. “O prefeito nos parabenizou pela idéia e sinalizou que vai sancionar a matéria”, concluiu.