Lisieux destaca três anos da Coopercan e pede maior atenção para a reciclagem do lixo

por Marcos Vieira publicado 09/08/2017 14h49, última modificação 09/08/2017 14h49

O vereador Lisieux José Borges (PT) usou a tribuna, nesta quarta-feira (9.ago), para falar dos três anos de fundação da Cooperativa de Trabalho dos Catadores de Materiais Recicláveis de Anápolis (Coopercan). “Estive ontem [8.ago] em uma singela comemoração no galpão da entidade”, iniciou o petista, cujo discurso tratou essencialmente da importância da reciclagem do lixo para a cidade e o seu fator de inclusão social.

Lisieux lembrou que antes de um trabalho que envolveu a Prefeitura de Anápolis, a Câmara Municipal, o Ministério Público e a Polícia Militar, catadores atuavam dentro do aterro sanitário da cidade, em uma situação “absurda”. “Era algo desumano, medieval, o que acontecia aqui”, reforçou o vereador.

Segundo ele, uma lei de 2010 exigia que os municípios tirassem os catadores dos aterros, mas pouco havia sido feito em todo o País. Anápolis começou a agir a partir de 2013, com um trabalho que contou com o empenho da promotora de Justiça Sandra Mara Garbelini. “Tivemos também um importante trabalho da PM quando do fechamento do aterro”.

Lisieux frisou que os trabalhadores da Coopercan agradeceram o empenho da Câmara na aprovação de lei que autorizou a Prefeitura de Anápolis a seguir pagando aluguel de um galpão para a entidade por mais dois anos e meio.

O vereador explicou que os catadores pedem que o poder público incentive a população a separar seu lixo. “Hoje menos de 1% faz isso na cidade”. A mudança de atitude da sociedade seria essencial para a independência financeira da Coopercan e também contribuiria para o meio ambiente, além de garantir maior vida útil ao aterro sanitário.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados