Jakson explica motivos para possível retorno à prefeitura de professores cedidos às escolas conveniadas

por Marcos Vieira publicado 08/08/2017 14h28, última modificação 08/08/2017 14h28

O vereador Jakson Charles (PSB), líder do prefeito na Câmara, também usou a tribuna nesta terça-feira (8.ago) para falar sobre as notícias de que professores cedidos pela administração municipal às escolas conveniadas vão retornar à Secretaria de Educação.

“Não há mentira que se sustenta e nem verdade que não apareça. É importante saber o que é antes de fazer colocações”, iniciou dizendo o vereador. Segundo ele, não há nada definido oficialmente, mas qualquer remanejamento terá como justificativa a necessidade de se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Jakson se referiu ao fato de a Prefeitura de Anápolis estar impedida de contratar novos servidores, até mesmo via concurso público, pois atingiu o limite imposto pela LRF para gasto com pessoal.

O retorno dos professores cedidos às escolas conveniadas para órgãos da Secretaria Municipal de Educação encerra um gasto duplo. Hoje é pago o salário desse profissional cedido, obviamente, e também de outro servidor que é contratado para ocupar seu espaço nos quadros do poder público municipal.

Segundo o líder do prefeito, a necessidade de adequação à LRF passa também pelo fato de que serão inaugurados nos próximos meses ao menos cinco centros municipais de educação infantil (cmeis), que vão necessitar de servidores. A ajuda dada pela prefeitura às escolas conveniadas não será alterada.

Jakson lembrou que o prefeito Roberto Naves (PTB) é um profissional da educação, portanto não é leigo no assunto, e tem responsabilidade no que está fazendo.

Para o vereador, a abertura de vagas nas escolas conveniadas, com o retorno dos efetivos para a administração, implica então na criação de vagas de trabalho para professores que estão desempregados.

registrado em: ,
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados